Conheça a Cidade

HISTÓRIA DE ITAREMA

Chamou-se primitivamente Tanque do Meio, ocupando terras litorâneas entre os lugares denominados Tanque de Cima e Tanque de Baixo, reservatórios destinados ao abastecimento de água aos moradores das respectivas vizinhanças. Desse fragmentos de progresso nasceria a povoação, composta na maioria de habitantes e de atividades diversificadas.

Origem do Topônimo: Pedra de cheiro agradável
Gentílico: itaremense

 

LOCALIZAÇÃO

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

Distrito criado com a denominação de Tanque do Meio, pelo ato de 06-09-1890, e por lei municipal nº 94, de 29-06-1923, subordinado ao município de Acaraú.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Tanque do Meio, figura no município Acaraú. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937. Pela lei estadual nº 346, de 10-08-1937, o distrito de Tanque do Meio passou a denominar-se Itarema. Pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938, o distrito já denominado Itarema adquiriu o extinto distrito de Extremas do município de Acaraú.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950. o distrito de Itarema permanece no município de Acaraú. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. Elevado à categoria de município com a denominação de Itarema, pela lei estadual nº 6809, de 02-12-1963, desmembrado Acaraú. Sede no antigo distrito de Itarema. Constituído do distrito sede.

Pela lei estadual nº 6990, de 23-12-1963, é criado os distritos de Almofada, Carvoeiro, Juritianha, Olhos D`água, Patos, Santa Fé e Santo Antônio e anexado ao muicípio de Itarema. Em divisão territorial datada de 3I-XII-1963, o município é constituído de 8 distritos: Itarema,Almofala, Carvoeiro, Juritianha, Olhos D`água, Patos, Santa Fé e Santo Antônio Pela lei estadual nº 8339, de 14-12-1965, é extinto o município de Itarema, sendo seu território anexado ao município de Acaraú, como simples distrito.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o distrito de Itarema, figura no município de Acaraú. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-I-1979.

Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Itarema, pela lei estadual nº 11008, de 05-12-1985, desmembrado Acaraú. Sede no antigo distrito de Itarema. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1986. Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o município é constituído do distrito sede.

Pela lei estadual nº 11319, de 22-05-1987, é criado o distrito de Carvoeiro é anexado ao município de Itarema. Pela lei estadual nº 11320, de 22-05-1987, é criado o distrito de Almofala é anexado ao município de Itarema. Em divisão territorial datada de 18-VIII-1988, o município é constituído de 3 distritos: Itarema, Almofala e Carvoeiro. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. Alteração toponímica distrital Tanque do Meio para Itarema alterado, pela lei estadual nº 346, de 10-08-1937. Fonte: IBGE

HISTORIA DA IGREJA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE ALMOFALA

Segundo historiadores da região, em meados do século XVIII, com a vinda dos colonizadores europeus ao Brasil, deu-se inicio a colonização da região norte do Ceará, onde os únicos habitantes ali existentes eram os índios da tribo TREMEMBÉ. Desembarcaram na costa acarauense e aqui fixaram residências. Um bom número deles se instalaram no povoado que futuramente viria a chamar-se ALMOFALA (palavra de origem árabe).

Almofala foi crescendo habitada por colonos portugueses, espanhóis e por índios. Estes dependiam da pesca para sobreviver. Tem-se informação que, em uma pescaria membros da etnia indígena encontraram uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, um deles guardou a pequena escultura em sua oca. No dia seguinte a santa havia desaparecido, e voltado para o local onde ela tinha sido encontrada. Ali mesmo construíram uma capela de palha para guardar a imagem. Após algum tempo foi construída uma capela de taipa.

TREMEMBÉ

Nação indígena de habilidosos pescadores vivia na região litorânea do baixo Acaraú. Tribo pacifica que aceitou a colonização, e que é a base étnica de todo o povo daquela região. Profundamente religiosos, os Tremembés manifestando boa vontade, ajudaram no desenvolvimento de seu povoado, e construção da capela para abrigar a imagem que os mesmos haviam encontrado, e passaram a adorá-la.

Em 1702, ano em que o padre José Borges de Novais veio ao Ceará, como primeiro missionário dos índios Tremembé. Em honra a Nossa Senhora da Conceição, D. Maria I, mandou que edificasse a capela em alvenaria. Com o material vindo direto da Bahia de barco até o porto do Acaraú, depois de carro de boi até Almofala, e somente dez anos depois, a 19 de outubro de 1712 foi concluída a construção, toda em estilo barroco diferente de todas que se encontra na província, no gosto e na construção lembra os velhos templos de Portugal.

O SOTERRAMENTO

No ano de 1897, a leste da capela uma duna de enormes proporções começou a ser desmontada pelos ventos, arremessando aos poucos para as casas vizinhas, uma areia fina que penetrava incessantemente pelo teto, pelas frinchas das portas, por toda parte. O padre Antônio Tomás, então vigário da paróquia de Acaraú, vendo que o morro havia invadido algumas residências, percebeu que a integridade do prédio sagrado estava em sério perigo, e o problema se apresentava sem solução possível.

A natureza prosseguiu em sua empreitada, cobrindo assim a beleza singela da igrejinha de Almofala. Trazendo a tristeza, o assombro e o desalento sobre a comunidade indefesa. Cristãos humildes acompanharam desolados e aflitos a agonia de sua querida capela que pouco a pouco ia sumindo naquele oceano de areia. O povo estava realmente assombrado, pois era de fato uma calamidade humanamente inevitável. Com a invasão da areia no pequeno povoado de Almofala, a vida para aquela desventurada gente foi decorrendo, então, entre a angustia e a desesperança de um dia ver a igreja novamente. Apesar daquela deplorável situação, nenhuma família migrou definitivamente. Aqueles que fugirão, uma vez por outra ali voltavam, para rever o local onde acontecera a mais estranha tragédia geológica.

O MILAGRE

Em 1941, a duna começou a ser retirada do povoado e da capela, em direção oeste. Tão sorrateira e insistente como viera, fina e salgada ia deixando a localidade onde permanecera por quase meio século. Após 45 anos o grande morro arenoso havia se mudado, impelido pelo mesmo vento que o trouxera, obedecendo a “lei misteriosa e caprichosa que rege a marcha das areia no litoral cearense”. Embora a natureza tenha se responsabilizado por levar embora a grande parte da duna, a população do lugarejo trabalharam três longos anos para retirar por completo toda a areia que tinha soterrado a capela.

Apesar do tempo e o peso da areia que a soterrou durante anos, a igreja permaneceu firme. Resistindo admiravelmente à ação do tempo, apenas o que era de madeira havia sido estragado e o que era de ferro a ferrugem destruiu.

Bastante debilitada e com sua estrutura comprometida, o teto completamente destruído, no ano de 1947, foi realizada uma reforma pela população local. Em 18 de abril de 1980, a Igreja Nossa Senhora da Conceição de Almofala foi reconhecida como monumento nacional. Tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), sendo feito um trabalho de restauração três anos mais tarde. Segundo Cyro Lira, “o edifício é um exemplo muito característico do barroco latino americano pela simbiose de detalhes eruditos – como o desenho da torre – com arremates de feitura popular, como as volutas rampantes do frontão”.

ARROMBAMENTO

No dia 25 de outubro de 2006, durante a madrugada, foram furtadas as imagens sacras de Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Conceição e São José de Ribamar e um crucifixo banhado a ouro do interior da igreja de Almofala. Após três meses, as mesmas foram encontradas enterradas e, enroladas em uma lona plástica no matagal na localidade da Fazenda Capivara. Antes de voltar para a igreja passaram por uma restauração, pois haviam sofrido danificações.

A PARÓQUIA NOS DIAS ATUAIS

De 7 a 15 de agosto é realizada a festa em homenagem à padroeira Nossa Senhora da Conceição, durante esses nove dias de festejo, vários devotos acordam cedo para as caminhadas pelo povoado que ocorrem durante a madrugada. A noite, acontecem as tradicionais novenas, seguida da realização da missa, onde a paróquia recebe fies de várias localidades vizinhas. Durante todo o ano, a paróquia recebe visitantes e devotos de todo o Mundo, que ficam fascinados com sua curiosa história. Um monumento centenário, que resistiu a ação do tempo.

 

Fonte: Wikipedia